Equipe Julio Coelho
Entre em contato: (19) 99935-2645


PRUDÊNCIA É BOM PARA TODOS!

Que fique um alerta para que possamos cada vez mais aproveitar esse privilégio que nos permite a cada dia correr.

Ontem pela manhã fiz um treino de 10k, na USP. Logo após peguei meu carro e fui dirigindo pelo mesmo trajeto que corri os 10k.

Sou treinador de corrida, ao mesmo tempo, sou corredor de rua, assim como sou mais um dos milhares de motorista que dirige nas ruas de São Paulo.

Todo o sábado é maravilhoso ver a quantidade enorme de atletas que treinam na USP. Eles se espalham correndo com suas camisetas coloridas e deixam as ruas alegres e esportivas.

Devido ao excesso de veículos, muitas vezes dos próprios atletas, as ruas da USP ficam cheias, geralmente provocando até engarrafamentos. Precisa ter paciência no momento de cada um voltar para suas casas.

Nada justifica a cruel irresponsabilidade de motoristas que dirigem embriagados, esses deveriam ter punições severas, o que infelizmente muitas vezes, isso não ocorre. Nada justifica também, motoristas que dirige conversando, ou enviando mensagens pelos seus celulares. Pior ainda os que dirigem em alta velocidade, em um local com tantos atletas espalhados, correndo e cuidando de suas saúdes.

A preferência é do pedestre!

É fato! Infelizmente não temos um local privilegiado, onde podemos realizar nossos treinos, sem que haja carros, motos, ou até mesmo bikes. Disputamos a cada dia, os mesmos espaços.

Ontem corri, mas logo fiz questão de dirigi e pude observar: como existem atletas corredores iniciantes, intermediários e avançados que cometem imprudências do mais alto nível, durante seus treinamentos.

Observei atletas correndo no meio das ruas, outros utilizando as faixas amarelas centrais que dividem as pistas dos carros que vão, ou dos que vem. Aquelas faixas, não foram feitas para os atletas e sim para evitar acidentes entre os carros, ou seja, correr por aquela faixa é extremamente perigoso.

Pude ver atletas correndo, mas ao mesmo tempo enviando mensagem pelo celular, outros com fone de ouvido curtindo um som, porém correndo bem no meio de avenidas principais.

Fiquei indignado ao ver muitos atravessando ruas sem olhar para os lados, sem olhar para frente, ou para trás, me passando a impressão assim: sou corredor, estou correndo e o carro que pare para eu passar!

Vi com meus próprios olhos atletas correndo em grupos, mas sem a menor concentração, a ponto de pararem no meio das avenidas para conversar, o que colaborou em congestionar o próprio trânsito local.

Parece que correr e cruzar na frente dos carros em movimento virou uma coisa normal.

Grupos e grupos que correm ocupando a metade das pistas, sem observar os carros que surgem de frente, ou de trás.

Muitas vezes não temos calçadas para correr, mas muitas vezes temos claramente calçada, gramados e espaços suficientes, sem necessitar de ir para as ruas movimentadas.

Infelizmente o trânsito não para, para nos ver correr. Independente de nosso treino, as ruas continuam com seus carros, motoristas e movimento normal de todos os tipos de seres humanos.

Veja o que vi: não foi difícil perceber que aquele motorista com um carro de uma assessoria esportiva, já havia feito seu treino. Ele estava indo embora para sua casa. Um grupo de cinco moças estava correndo batendo papo, conversando e desconcentradas. Elas corriam juntas ocupando quase que a rua toda, bem no meio de uma avenida principal. O motorista estava correto, lento e cuidadoso. Elas corriam tão distraídas que não viram e quase atropelaram o carro! O motorista precisou brecar e buzinar. Elas assustaram! Fizeram comentários, passaram pelo carro e continuaram a correr da mesma forma. Continuaram correndo ocupando quase que todo o espaço da rua. Naquele momento pensei: o motorista não estava errado, elas estavam completamente erradas! Parecia que elas estavam achando que as ruas foram feitas apenas para elas correrem batendo papo.

A preferência sempre é do pedestre, mas a prudência também!

Por mais que eu queira que a rua seja somente para meu treino, por mais que eu acredite plenamente que todos deverão me respeitar quando estiver correndo estarei sujeito a encontrar um carro, em baixa, ou alta velocidade, onde tenha um motorista distraído, estressado, embriagado e em frações de segundos um acidente poderá ser fatal!

Somos atletas, corredores, mas ao mesmo tempo também somos motoristas. Somos indefesos, sujeitos a erros e falhas. Somos indiscutivelmente mais fracos do que um carro potente.

Estamos expostos quase que o tempo todo. Corremos longas distância e não temos um lugar privilegiado, onde podemos correr como bem quiser, ao contrário vivemos em uma cidade que é cada vez mais doida, maluca e perigosa.

Correr com prudência necessita consciência!

Devemos continuar correndo, afinal é o que amamos fazer. Devemos cuidar alertar, ou até mesmo orientar nossos alunos, ou amigos, quando observar que estamos correndo em margens de riscos para nossas próprias vidas.

Que Deus nos ajude sempre como atletas corredores, como motoristas, mas principalmente como seres humanos.

Que fique um alerta para que possamos cada vez mais aproveitar esse privilégio que nos permite a cada dia correr.